fbpx
PUBLICIDADE

Olavo alerta para inovações tecnológicas que podem estar nos ‘planos globalistas’

Filósofo emitiu alerta aos seus seguidores em transmissão ao vivo com a companhia da ativista Bia Kicis
(Foto: Reprodução / IDG Now)

Em uma transmissão ao vivo no Facebook pelo perfil de Bia Kicis, o filósofo e escritor Olavo de Carvalho deixou um alerta. Segundo ele, há risco de instrumentos como chips e carros sem motorista, produtos da inovação tecnológica, serem usados pelos banqueiros e intelectuais globalistas para ampliar seus poderes sobre os indivíduos.

Olavo começou dizendo que os ricos globalistas, por ele chamados algumas vezes de “metacapitalistas”, são muito inteligentes e estariam contratando mentes sofisticadas para elaborar estratégias de interesse aos seus propósitos no mundo contemporâneo. Entre esses planos, estaria a eliminação de todos os carros dirigidos por motoristas, pois os veículos estariam ligados a uma central informática e, portanto, sob constante supervisão.

A extinção do dinheiro impresso e a substituição de todos os documentos por chips seriam outras políticas que poderiam aumentar o controle central sobre as liberdades individuais. “Essas coisas não são discutidas em público; é oferecido só o lado bonito da coisa”, afirma Olavo. Confira a explicação sobre o assunto no vídeo, a partir dos 30 minutos:

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Siga o Boletim

Leia também