Reinaldo Azevedo sai da ‘Veja’ após ser divulgada ligação com Andrea Neves

No telefonema, o jornalista que é dono de um dos blogs mais lidos do Brasil fez críticas a uma reportagem da revista que denunciou Aécio e especulou projeto político do Procurador Geral da República

- Publicado no dia
Reportagem da Revista Veja sobre Aécio e Andrea Neves foi considerada 'Nojenta' por Reinaldo Azevedo (Foto: Divulgação)
Reportagem da Revista Veja sobre Aécio e Andrea Neves foi considerada ‘Nojenta’ por Reinaldo Azevedo (Foto: Divulgação)

Reportagem do BuzzFeed publicada na tarde desta terça-feira (23) revelou que a Procuradoria Geral da República captou uma ligação telefônica entre Andreia Neves e o jornalista Reinaldo Azevedo. No telefonema, Azevedo tece críticas à revista Veja, cujo portal hospeda seu tradicional blog de política, um dos mais lidos do Brasil. Com a divulgação, Azevedo decidiu pedir demissão da revista.

Andrea é irmã de Aécio Neves, senador e presidente licenciado do PSDB, e foi presa após o mais recente desdobramento da Operação Lava Jato. Ela e o irmão vinham sendo monitorados pela Polícia Federal após delação premiada de Joesley Batista, sócio da JBS.

Na gravação divulgada, Reinaldo e Andrea criticam uma reportagem da revista Veja que noticiava uma suposta propina ao senador. “É nojento, é nojento”, avalia Azevedo.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Resposta

Como reação, Azevedo publicou em seu blog aquilo que chamou de seu “último post” no portal Veja.com. Ele explicou que Andrea e Aécio são algumas de suas várias fontes no meio político. E admitiu a veracidade da ligação telefônica divulgada e as críticas que teceu a uma reportagem da revista.

O jornalista contou ainda que, após a divulgação, pediu rompimento de seu contrato e a direção concordou. Disse que seu blog completaria em junho 12 anos, que o saldo final é bastante positivo e criticou o fato de a Procuradoria Geral da República tornar pública uma ligação telefônica privada entre um jornalista e sua fonte. “Em qualquer democracia do mundo, a divulgação da conversa de um jornalista com sua fonte seria considerada um escândalo”, argumentou.

Segundo ele, Rodrigo Janot, procurador geral da república, pode estar cogitando concorrer a um cargo eletivo. Mas Reinaldo deu a entender que a saída da Veja não marca necessariamente o fim de seu blog: ele deixou aberta a possibilidade de hospedar o blog em outro veículo ou de maneira independente.

Confira, abaixo, a íntegra da nota de Reinaldo:

“Comecemos pelas consequências.

Pedi demissão da VEJA. Na verdade, temos um contrato, que está sendo rompido a meu pedido. E a direção da revista concordou.

1: não sou investigado;

2: a transcrição da conversa privada, entre jornalista e sua fonte, não guarda relação com o objeto da investigação;

3: tornar público esse tipo de conversa é só uma maneira de intimidar jornalistas;

4: como Andrea e Aécio são minhas fontes, achei, num primeiro momento, que pudessem fazer isso; depois, pensei que seria de tal sorte absurdo que não aconteceria;

5: mas me ocorreu em seguida: “se estimulam que se grave ilegalmente o presidente, por que não fariam isso com um jornalista que é crítico ao trabalho da patota?;

6: em qualquer democracia do mundo, a divulgação da conversa de um jornalista com sua fonte seria considerada um escândalo. Por aqui, não;

7: tratem, senhores jornalistas, de só falar bem da Lava Jato, de incensar seus comandantes;

8: Andrea estava grampeada, eu não. A divulgação dessa conversa me tem como foco, não a ela;

9: Bem, o blog está fora da VEJA. Se conseguir hospedá-lo em algum outro lugar, vocês ficarão sabendo;

10: O que se tem aí caracteriza um estado policial. Uma garantia constitucional de um indivíduo está sendo agredida por algo que nada tem a ver com a investigação;

11: e também há uma agressão a uma das garantias que tem a profissão. A menos que um crime esteja sendo cometido, o sigilo da conversa de um jornalista com sua fonte é um dos pilares do jornalismo.”

 

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também