Holiday pede menos verba de gabinete e reduz salário

Eleito pelo DEM em São Paulo, o coordenador do MBL anunciou que fez um corte ainda maior do que o prometido durante a campanha

- Publicado no dia

Em declaração pública divulgada em sua página no Facebook, o vereador eleito em São Paulo, Fernando Holiday, se comprometeu oficialmente com vários cortes nos recursos legalmente destinados ao seu gabinete. O texto foi registrado em cartório e está disponível ao acesso de quem desejar.

O documento estabelece a “renúncia de 50% da verba do gabinete vigente, destinada à contratação de pessoal / assessoria parlamentar”, “renúncia à utilização de carro oficial e motorista”, “renúncia de 50% da verba de gabinete destinada ao custeio das despesas operacionais” e “compromisso de doar a uma instituição de caridade idônea, bem como exibir o comprovante correspondente nas redes sociais, mensalmente, o valor de 20%¨(vinte por cento) do salário líquido vigente na legislatura anterior”. Sobre este último ponto, o documento diz ainda que, “se porventura o aumento concedido em dezembro de 2016 for judicialmente confirmado, o valor acrescido será igualmente doado”.

Em sua página na rede social, Holiday fez questão de frisar que fez um corte ainda maior que o prometido durante a campanha, quando havia dito que abriria mão de 30 % da verba de gabinete para contratação de pessoal. Sobre a tentativa de vereadores de aumentar os próprios salários, Holiday deixou clara sua oposição e sua intenção de doar o valor.

“Acredito que só desta maneira, acabando com as mordomias, podemos aproximar mais os políticos dos cidadãos que querem mudança de verdade”, disse ele sobre o objetivo das medidas. Eleito pelo DEM com 48 mil votos, Holiday ganhou notoriedade ao coordenar o Movimento Brasil Livre e representá-lo em atendimento a convites em assembleias, eventos ou programas jornalísticos, e se elegeu defendendo uma pauta liberal e contrária ao pensamento coletivista.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também