Um giro 360 - Instituto de Estudos Empresariais - Boletim da Liberdade
PUBLICIDADE

Um giro 360

18.03.2021 09:59

*Victoria Jardim

É curioso como existem algumas expressões na língua portuguesa que são utilizadas da maneira errada com certa frequência. Quando se anseia por mudanças, inúmeras vezes as pessoas dizem que querem dar um giro de 360 graus em suas vidas. Os simpatizantes da matemática ou de esportes radicais entendem que isso significa voltar exatamente para o mesmo lugar. No entanto, aqueles que se utilizam da expressão da maneira errada nunca estiveram tão certos como em março de 2021. Após um ano de pandemia, e diversas mudanças de hábitos e comportamentos, o Brasil voltou à estaca zero.

Sim, agora existem mais informações acerca do vírus, e parte da população já está sendo vacinada, mas o caos instaurado de forma centralizada é o mesmo de um ano atrás. Governantes se utilizam do medo para persuadir as pessoas a aceitarem o lockdown, ancorados no bastião da ciência, mesmo que a ciência muito pouco tenha provado sobre a eficiência das medidas implementadas. E a população, amedrontada, vira massa de manobra política, e vê sua liberdade e seus direitos serem tolhidos, sem resistir, pois a ilusão da segurança proporcionada pelo Estado é mais reconfortante do que a responsabilidade da escolha individual.


PUBLICIDADE


Essa é só mais uma prova da incapacidade e da incompetência dos governantes de lidarem com situações complexas. Planejamento central não funciona na economia e não funciona na pandemia. Se os dados e a ciência dos quais os governantes se utilizam para tomada de decisão são tão precisos e reativos, por que em uma semana as escolas iriam finalmente reabrir e, na semana seguinte, o país inteiro estava praticamente fechado? É o conceito de conhecimento disperso de Hayek explicando o fracasso da política de combate à Covid-19.

É claro que a natureza complexa do problema torna a solução para a pandemia algo extremamente desafiador para quem quer que seja. Mas o ponto de atenção aqui é que a vida, a liberdade e a propriedade, que são direitos inalienáveis de cada um, nunca estiveram tão expostas como agora, e não por falta de ação do governo, mas por excesso. Existe uma frase que diz que “você não pode cometer o mesmo erro duas vezes, porque a segunda vez não é um erro, é um uma escolha”. Espero que em 2021 as pessoas escolham girar 180 graus, em vez de 360.

*Victoria Jardim é engenheira e associada ao IEE.

Foto: Arquivo pessoal/Reprodução.


PUBLICIDADE