fbpx
PUBLICIDADE

Ativista é dispensado do serviço militar obrigatório com apoio do Livres

Jovem Emerqui da Cruz alegou imperativo de consciência para não se alistar e conseguiu, apresentando documento com firma reconhecida da entidade, que fosse dispensado do serviço militar
Emerqui da Cruz mostra Certificado de Dispensa do Serviço Alternativo (Foto: Reprodução/YouTube)
Emerqui da Cruz mostra Certificado de Dispensa do Serviço Alternativo (Foto: Reprodução/YouTube)
PUBLICIDADE

Um jovem liberal de Mato Grosso, Emerqui da Cruz, conseguiu ser dispensado do serviço militar obrigatório após alegar objeção de consciência por motivação filosófica.

PUBLICIDADE

Associado ao Livres, movimento liberal suprapartidário, Cruz apresentou uma declaração de firma reconhecida da entidade e um documento de próprio punho solicitando a dispensa. Há previsão constitucional para essas situações.

“Depois de dois anos tentando, finalmente consegui ser dispensado do serviço militar obrigatório por intermédio do imperativo de consciência. Quero, agora, montar um guia e, quem sabe, uma campanha para divulgação dessa informação, que muitas vezes não chega aos ouvidos nem mesmo daqueles que trabalham na Junta de Serviço Militar”, afirmou Emerqui.

PUBLICIDADE

Leia também:  Liberais divergem entre si sobre papel de Hang na CPI

De acordo com o ele, 1,5 milhão de jovens são alistados anualmente de forma obrigatória, mas apenas 100 mil de fato são incorporados. Sobre as dificuldades do processo, revela:

“Existem coisas que não são de conhecimento nem mesmo dos militares, como os documentos internos do Exército. Um deles, por exemplo, determina o passo a passo que deve ser realizado para aqueles que declaram o imperativo de consciência [para não servir]. No meu caso, um dos documentos foi assinado, com firma reconhecida, pelo Livres em março e o resultado saiu agora em outubro”, explicou.

Alistamento obrigatório

Caso o jovem não se aliste ao completar 18 anos, ele pode ser impedido de ter passaporte, se matricular em instituição de ensino superior, votar e tirar carteira de trabalho.

PUBLICIDADE

Leia também:  Livres agrega novo deputado à 'Bancada da Liberdade'

“O Livres defende a liberdade individual e por isso nós somos contra a obrigatoriedade do alistamento. O trabalho militar é digno, relevante e merece todo respeito, mas precisa ser exercido por quem realmente quer e tem vocação para isso, e não por quem o Estado, simplesmente, sorteia aleatoriamente, ou escolhe que aquela pessoa deve trabalhar forçadamente contra suas vontades”, declarou Mano Ferreira, diretor de comunicação da entidade, no programa “Livres Notícia”.

Segundo Mano, Emerqui é “um dos primeiros brasileiros a conseguir dispensa do serviço militar obrigatório por motivo de objeção de consciência por motivação filosófica”.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?