fbpx
PUBLICIDADE


Deputado do PSL pede que STF informe quando será julgamento do voto impresso

Deputado federal Daniel Silveira protocolou ofício para saber se há previsão para que o plenário aprecie o tema, cuja emenda que prevê o voto impresso foi proposta pelo então deputado Jair Bolsonaro

- Publicado no dia
Daniel Silveira (ao centro, de terno preto) é policial militar (Foto: PSL)

O deputado federal Daniel Silveira (PSL/RJ) protocolou um ofício na última sexta-feira (12) ao Supremo Tribunal Federal pedindo informações sobre quando será o julgamento do voto impresso. [1]

Desde 2018, a emenda que prevê o voto impresso, proposta pelo então deputado Jair Bolsonaro e aprovada em 2015 junto à mini-reforma política, está suspensa.

O STF concedeu naquele ano, e antes das eleições gerais, ação cautelar após provocado por ação direta de inconstitucionalidade pela Procuradoria Geral da República.


PUBLICIDADE



De acordo com a PGR, o voto impresso, ainda que em paralelo com o voto eletrônico, poderia comprometer o sigilo do voto – o que os defensores da proposta negam.

Nas redes sociais, o parlamentar do PSL afirmou que “o povo quer o voto impresso já em 2020” e explicou que seu ofício visa saber se existe ao menos previsão para o julgamento do tema.

“Já foram gastos valores do erário público para atendimento da legislação em questão, bem como realizado a compra de equipamentos e serviços”, afirmou. [2]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.