Curta o Boletim no Facebook


Jornalistas brasileiros ‘não sabem quase nada’ de política, diz Bruno Garschagen

Cientista político e autor de sucesso da Record afirmou que a imprensa brasileira não sabe quase nada sobre o significado de conceitos da área

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / O Antagonista)

O cientista político Bruno Garschagen concedeu uma entrevista especial ao jornalista Felipe Moura Brasil, no site O Antagonista, abordando os principais conceitos relacionados a posicionamentos políticos, como “liberalismo” e “conservadorismo”. Um dos principais destaques foi a crítica à média dos jornalistas brasileiros, que, segundo o autor de “Pare de acreditar no governo – Por que os brasileiros odeiam os políticos e amam o Estado”, não param de dar vexame ao comentar o assunto.

A entrevista foi ampla, passeando por diferentes temas. Garschagen abordou, por exemplo, o pensamento conservador brasileiro, particularmente durante a monarquia constitucional, mencionando a diversidade de influências teóricas dos estadistas e agentes políticos saquaremas (isto é, membros do Partido Conservador brasileiro).


PUBLICIDADE


Quando confrontado com uma declaração da jornalista Eliane Cantanhede, associando o conservadorismo à ascensão de Bolsonaro e ao assassinato de mulheres, porém, é que ele foi mais duro. “O problema do Jornalismo brasileiro”, ele definiu, é que os profissionais “não sabem quase nada, para ser um tanto generoso, em termos de conceitos políticos, teoria. Não sabem, e ficam reagindo a partir daquilo que leem na própria imprensa de pessoas que não sabem nada. Você tem uma reprodução de equívocos que passam a ecoar como sendo uma definição conceitual estabelecida pela teoria da filosofia política ou ciência política”. Mais grave do que isso, na opinião dele,  é  o desconhecimento do que “está acontecendo na própria sociedade brasileira”. Confira na íntegra:

Conteúdo diário sobre a liberdade. Um novo veículo para o Brasil.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também