Os quadrinhos na ‘problematização’: as tirinhas de Afonsinho e a ideologia de gênero na Turma da Mônica

Página com “tirinhas” engraçadas do personagem Afonsinho já tem quase 18 mil curtidas e está em atividade regular desde o mês de julho

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/Facebeook

A ideia de que liberais e conservadores precisam investir em novas plataformas e linguagens para expressar suas ideias e confrontar os adversários está longe de ser nova. Mais do que ficar nas palavras, porém, alguém resolveu experimentar o impacto que a dinâmica dos quadrinhos poderia ter para satirizar o politicamente correto e o pensamento costumeiro da “contracultura”. Não só fez isso, como também divulgou o produto de seu trabalho gratuitamente pela Internet.

(Foto: Reprodução / Facebook)

A página do personagem Afonsinho, cujas publicações são tirinhas ironizando os discursos feministas e dos movimentos de minorias, já conseguiu quase 18 mil curtidas. As histórias geralmente mostram um menino que acredita que deve “problematizar” todos os temas que seus interlocutores levantam. Em uma das pequenas histórias, por exemplo, ele se imagina como um super-herói voando para resgatar uma mulher, mas se detém ao pensar que talvez fosse “machismo” acreditar que ela precisaria de ajuda. O texto não é voltado para o público infantil, apresentando inclusive palavrões.


PUBLICIDADE


A partir de 14 de agosto, as tirinhas incluíram uma nova personagem: a estudante Lacralda – uma referência à expressão “lacração”, que se popularizou entre os segmentos políticos que se consideram “progressistas”. Lacralda se tornou fixa nas tirinhas, chegando a ter histórias exclusivas. Curiosamente, talvez seja um começo tímido e tardio de reação, já que uma das principais franquias de quadrinhos brasileiras para crianças, a Turma da Mônica, está sendo acusada de ter ensinado a ideologia de gênero – e isso não teria começado agora.

(Foto: Reprodução / Facebook)

A acusação foi feita por Stella Caymmi, jornalista e pesquisadora da música brasileira, além de filha de Nana Caymmi e neta de Dorival. Stella mostrou em seu perfil no Facebook imagens de uma história antiga – segundo ela, de cerca de duas décadas – em que a personagem infantil Mônica diz para a amiga Magali que “meninas também poderiam ter ‘torneirinha’ e continuar sendo meninas”.

(Foto: Reprodução / Facebook)

 

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também