Pautas de esquerda da imprensa favorecem candidatura de Bolsonaro, opina Bernardo Santoro

Ex-presidente do Instituto Liberal e hoje secretário geral do Patriota, Santoro concedeu entrevista na tarde desta sexta-feira (13) ao radialista Guilherme Macalossi e falou da pré-candidatura de Bolsonaro à presidência

- Publicado no dia
Pessoas ligadas ao Patriota assistiram juntos à sessão do filme “Polícia Federal – A lei é para todos”. Bernardo Santoro (de verde) e Jair Bolsonaro (ao centro) . (Foto: Reprodução/Facebook)

O advogado Bernardo Santoro, ex-presidente do Instituto Liberal, concedeu na tarde desta sexta-feira (13) uma entrevista ao radialista Guilherme Macalossi, do Rio Grande do Sul. Santoro é hoje secretário geral do Patriota, novo nome do Partido Ecológico Nacional, que está sendo remodelado para abrigar a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência em 2018.

Na entrevista, Santoro observou que a pré-candidatura de Jair Bolsonaro ganha cada vez mais força à medida que a imprensa decide reforçar pautas progressistas. “A mídia mainstream está dobrando a aposta na destruição dos valores tradicionais do Brasil. Eles não estão satisfeitos em combater de maneira insidiosa os valores tradicionais da nossa sociedade. Agora, eles estão fazendo isso de maneira aberta, profunda e radical”, analisou o advogado, complementando que “a radicalização do discurso da esquerda através da mídia tradicional reforça a candidatura forte na direita”.


PUBLICIDADE


Bernardo Santoro também negou que Jair Bolsonaro seja um candidato radical. “É um candidato muito forte e de valores muito claros”, disse. “Radicalismo, na nossa opinião, […] é entregar o ‘Kit Gay’ para crianças, é professor fazer lavagem cerebral em crianças. É a Globo vender para a população brasileira que o gênero é uma construção social, quando na realidade a gente sabe que é uma questão biológica. Isso, na verdade, é que é radicalismo”, opinou, garantindo que Bolsonaro é, na realidade, uma pessoa “muito ponderada”.

Ao longo da entrevista, Santoro também disse que o Patriota não teme ficar preso na cláusula de barreira e que, apenas no Rio de Janeiro e em São Paulo, deve-se ultrapassar a marca de um milhão de votos. “Tenho certeza absoluta que passaremos sem maiores esforços pela cláusula de barreira. […] Isso vem naturalmente a partir de uma bem sucedida campanha presidencial”, avaliou. Ele também considerou que as redes sociais podem ter papel decisivo na campanha do próximo ano. Ouça a entrevista completa de Bernardo Santoro ao radialista Guilherme Macalossi clicando aqui.

+ Helio Beltrão, do IMB, opina sobre João Doria e Jair Bolsonaro e envia presente

+ Doria, Bolsonaro, Alckmin ou Amoêdo: quem melhor representa o liberalismo?

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também