Marcel Van Hattem divulga nota do Ministério Público sobre caso Santander

Procuradores do Ministério Público gaúcho receberam várias representações contra a exposição e consideram que conduta foi criminosa

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Revista Voto)

O deputado Marcel Van Hattem (PP-RS) divulgou uma posição do Ministério Público Gaúcho sobre o caso da exposição do Santander que acrescenta novos ingredientes à polêmica.  Os procuradores do Ministério consideram que a exibição da mostra, da maneira como foi feita, representou agressão e crime.

Segundo eles, não houve descuido, e sim “doutrinação amoral do público infanto-juvenil, e os pais que agora tomaram conhecimento disso podem procurar o Ministério Público para a adoção de providências, sobretudo se descobrirem que os filhos participaram de alguma dinâmica sensorial sugerida no evento, o que pode caracterizar crime contra a dignidade sexual”.


PUBLICIDADE


O procurador Alexandre Lipp também disse que “A erotização da criança é um facilitador da pedofilia” e que “apresentar ao público escolar condutas como zoofilia em um contexto de respeito à diversidade comunica a mensagem de que essas condutas devem ser aceitas”. O texto informa ainda que o Ministério Público já recebeu mais de 20 representações para apuração de delitos como vilipêndio a objeto de culto religioso e apologia de crimes.

Van Hattem foi além e notificou o ministério público, questionando o apoio do Estado à exposição. Para ele, o pedido de desculpas feito pelo banco Santander não é suficiente.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também