Câmara Municipal de Campinas aprova em 1ª votação o ‘Escola sem Partido’

Iniciativa foi do vereador Tenente Santini, do PSD, que afirmou que pais e avós “não podem perder o direito de educar seus filhos conforme os preceitos de suas famílias”; vereadores do PSOL e PCdoB criticaram a medida

- Publicado no dia
Foto: Reprodução / G1

A Câmara Municipal de Campinas aprovou nesta segunda-feira (4) em primeira votação o projeto de lei que institui o “Escola Sem Partido”. O projeto foi apresentado pelo vereador Tenente Santini (PSD).

Durante a votação, houve manifestações na rua de professores e sindicalistas contrários ao projeto. Dentro da Câmara, as principais críticas vieram de parlamentares do PCdoB e do PSOL.


PUBLICIDADE


Ao todo, foram 24 votos favoráveis ao projeto contra apenas cinco contrários. Na próxima semana, o “Escola Sem Partido” deve voltar à pauta da Câmara Municipal para, segundo o G1, “apreciação do mérito”.

No ecossistema pró-liberdade, diferentes personalidades endossam o projeto. Dentre elas, o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM), ligado ao MBL, e o deputado estadual do Rio Grande do Sul Marcel van Hattem.

Apesar disso, há também quem seja crítico à ideia, concebida originalmente pelo procurador Miguel Nagib. Daí nasceu o projeto “Escola Sem Estado”que embora também faça ressalvas contra a doutrinação ideológica nas escolas, preza pela não-intervenção na educação por meio de qualquer tipo de legislação.



Confira também:




Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também