Professora agredida por aluno apoiava agressões a Jair Bolsonaro

O deputado Eduardo Bolsonaro comentou publicações no Facebook em que a professora ironizava as “ovadas” em João Doria e em seu pai, Jair

- Publicado no dia
Um dos prints do perfil da professora Marcia Friggi (Foto: Reprodução / Facebook) Reprodução / Facebook)

A professora de Português Márcia Friggi, agredida violentamente por um aluno menor de idade em uma escola pública de Indaial (SC), detesta João Doria e Jair Bolsonaro e considera engraçadas as agressões sofridas por eles, como as ovadas que o prefeito de São Paulo e o parlamentar do Rio de Janeiro receberam. A afirmação se fundamenta nas publicações feitas em seu perfil no Facebook.

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho de Jair, publicou um vídeo comentando os deboches da professora. Desde o começo, o parlamentar se preocupou em deixar claro que repudia qualquer violência, mesmo a que a própria professora sofreu. Expôs também uma declaração do próprio Jair Bolsonaro repudiando a conduta violenta e dizendo que a ovada que recebeu não deveria ser aplicada contra quem quer que seja. A ideia de Eduardo era alertar que os professores “têm que ter responsabilidade” e não podem apenas “incentivar algumas condutas de que eles próprios serão vítimas”.

Confira o vídeo:

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também