Proibição da candidatura de Bolsonaro também será debatida no Senado

Assim como a ideia legislativa de iniciativa popular que propõe o fim dos impostos, projeto quer vetar candidatura do deputado por ele ser, segundo o autor, “autoritário, cruel, preconceituoso e uma ameaça”

- Publicado no dia
Foto: Reprodução / E-Cidadania
Foto: Reprodução / E-Cidadania

Além da proposta da proibição da cobrança de impostos, que conseguiu atingir ontem mais de 29 mil assinaturas e será debatida no Senado Federal, outra iniciativa também inusitada obteve apoio expressivo dos brasileiros. Trata-se de uma ideia que pretende proibir a candidatura do deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ) à Presidência da República, sugerida por Gabriel Costa, do Sergipe.

O projeto já conseguiu colher as assinaturas de mais de 28 mil pessoas e, pelas regras do portal “e-cidadania”, será encaminhado à uma comissão parlamentar onde será debatido pelos senadores. Costa argumenta que o deputado tem um “caráter autoritário e cruel, preconceituoso e uma ameaça à democracia” e que, por isso, não deve ser candidato à presidência.

Uma das ideias legislativas mais populares, porém, também diz respeito a um adversário político de Bolsonaro: Jean Willys (PSOL/RJ).  Mais de 63 mil pessoas já assinaram favoráveis à cassação do parlamentar por “desacato ao juiz Sergio Moro”. É improvável, porém, que essa ideia prospere: apenas a Câmara dos Deputados possui prerrogativa legal para cassar um deputado federal.

Entenda

O site do Senado Federal abriga uma seção chamada “e-cidadania”, focada em receber sugestões legislativas de cidadãos sem mandato parlamentar. As ideias que contam com mais de 20 mil assinaturas são, segundo o portal, “encaminhadas para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa”, onde recebem parecer e são debatidas pelos senadores.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também