“Passei duas semanas de Coreia do Norte”, diz Alexandre Borges em entrevista ao TV Antagonista

O comentarista político e publicitário forneceu sua versão da polêmica criada pelo post de Eduardo Bolsonaro e analisou o sucesso de Donald Trump

- Publicado no dia

Atendendo a pedidos, o programa “TV Antagonista”, do popular site de notícias O Antagonista, com apresentação da jornalista Madeleine Lackso, recebeu o publicitário e comentarista político Alexandre Borges. Os temas discutidos foram desde as recentes polêmicas envolvendo a foto com o prefeito de São Paulo, João Doria, e a divulgação de listas com nomes que corresponderiam a uma “falsa direita”, até a política americana, foco das análises de Borges.

“Passei duas semanas de Coreia do Norte, de estar sendo cobrado se sou ou não fiel ao grande timoneiro”, ele começou resumindo a confusão. Alexandre fez uma retrospectiva dos acontecimentos, dizendo que estava no evento com João Doria como analista político, registrando o que ocorreria até para possivelmente reportar aos seus leitores, e na saída, por sugestão de algum dos presentes, tirou a fotografia e fez uma brincadeira em seu Instagram privado com o slogan “acelera”. “No dia seguinte, acordo com meu telefone tocando como se estivesse na Terceira Guerra Mundial”, afirmou.

Borges ressaltou que não acredita que Doria represente a “Nova Direita”, nem jamais disse isso, e acrescentou que não conseguiu contato com Eduardo, mas falou com Flavio, seu irmão. Disse ainda que, como analista político, não declara seus candidatos nas eleições publicamente, e que é totalmente contrário a que as pessoas estejam “enfileiradas apaixonadamente atrás de políticos” com tanto tempo de antecedência em relação às eleições.

Além desses esclarecimentos, Borges analisou a popularidade de Donald Trump, o significado de sua ascensão e o debate internacional sobre o globalismo e o politicamente correto. Confira:

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também