Protógenes, ex-PCdoB, acusa eleição de Dilma de ter sido fraude eleitoral

- Publicado no dia
Protógenes Queiroz (Foto: Reprodução / Facebook)
Protógenes Queiroz (Foto: Reprodução / Facebook)

Vozes liberais e conservadoras sustentam, desde 2014, a existência de uma fraude nas eleições com urnas eletrônicas no Brasil, havendo muitas denúncias contra a empresa venezuelana Smartmatic. No dia 9 de abril, em entrevista para o programa da jornalista Mariana Godoy na RedeTV, um novo capítulo foi adicionado a essas acusações e suspeitas, desta vez vindo de alguém que até 2016 estava no PCdoB.

O ex-delegado da Polícia Federal, eleito deputado federal em São Paulo em 2010 pela legenda, Protógenes Queiroz, foi o responsável pela declaração inesperada. A jornalista foi até a Suíça entrevistá-lo depois de ele ter tido sua prisão decretada pela Justiça Federal de São Paulo. O motivo foi não comparecer a uma audiência que definiria como ele cumpriria a condenação pelo STF na Operação Satiagraha, por vazamento de informações e violação do sigilo funcional. Ele vive lá na condição de “exilado político”.

Godoy perguntou a que ele atribuía a não-reeleição em 2014, e ele respondeu “fraudes nas urnas eletrônicas”. Na opinião de Protógenes, logo após o resultado, muitas pessoas confirmaram ter votado nele e o voto não teria aparecido nas urnas. Em análise no gabinete da procuradoria-geral da República, Protógenes se disse impressionado com a quantidade de urnas sem votos computados. Decidiu-se, segundo ele, fazer uma representação ao então presidente do TSE, Dias Toffoli. “Eu mesmo segui investigando, identifiquei um dos fraudadores dos meus votos, ele admite a fraude e falou em detalhes como fraudou a minha e outras eleições”.

A presidente Dilma Rousseff também teria sido beneficiada por fraude eleitoral. “Tentei articular com o Ministério Público Eleitoral uma operação de inteligência nas eleições municipais que aconteceriam no ano de 2016, mas fui muito desencorajado pelo colega do MPF, que disse que o Tribunal Superior Eleitoral jamais admitiria a conclusão de uma investigação que identificasse fraudes nas eleições majoritárias”. Confira a cena neste trecho replicado pelo Movimento Liberta Brasil.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também