Páginas monarquistas nas redes sociais propõem restauração ao Legislativo

As páginas criaram uma “ideia legislativa” no site do Senado e conseguiram, até agora, mais de 3,5 mil apoiadores; com 20 mil, a ideia é debatida entre os senadores

- Publicado no dia
(Foto: Divulgação / Facebook)
(Foto: Divulgação / Facebook)

Um total de 14 páginas em defesa da monarquia brasileira no Facebook se uniram em torno de uma ideia: publicar no portal do Senado Federal a restauração da Coroa dos Bragança como uma Ideia Legislativa. O anúncio foi publicado na página “Pedro de Alcântara”.

De acordo com os idealizadores, o objetivo é “incentivar a formação de um amplo debate público sobre a restauração”, mesmo que não alimentem “a falsa esperança de que a ideia seja aprovada pelos senadores”. Obrigá-los a debater “traria muita mídia para o movimento, o que fomentaria a discussão sobre uma eventual restauração, permitindo a consideração do parlamentarismo monárquico pelos brasileiros”.

No texto da proposta assinada por “Rodrigo Brasileiro – RJ”, sob o título Referendo pela Restauração da Monarquia Parlamentarista no Brasil, o sistema presidencialista brasileiro é acusado de ser “corrupto e corruptor”. “A implantação da Monarquia tiraria o viés partidário das decisões de Estado, garantindo a isonomia do mesmo, ao mesmo tempo em que as funções de governo permaneceriam com os representantes eleitos pelo povo, com um menor custo ao erário público”, conclui.

Na seção “Mais detalhes”, os monarquistas informam que o imperador teria a função de nomear e demitir o Primeiro-Ministro, dissolver o Congresso para convocar novas eleições, indicar os ministros do STF, sancionar e vetar leis e convocar plebiscitos e referendos, mas a administração e governo do país ficariam sob responsabilidade do Primeiro Ministro e do seu Gabinete. Se a proposta conseguir 20.000 apoiadores até o dia 15 de agosto, será levada para debate entre os senadores; até o momento, conseguiu 3.588 apoios.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também