Colunista de ‘O Globo’ sugere que IL é incoerente por ‘elogios’ a Jair Bolsonaro

Segundo Ancelmo Gois, Instituto Liberal já publicou mais artigos elogiando Jair Bolsonaro do que criticando; organização e Constantino em nota negam apoio e partidarismo

- Publicado no dia
Ancelmo Gois, um dos principais colunistas do jornal O Globo, dedicou a parte final de sua coluna para criticar o Instituto Liberal. (Arte: Boletim da Liberdade)
Ancelmo Gois, um dos principais colunistas do jornal O Globo, dedicou a parte final de sua coluna para criticar o Instituto Liberal. (Arte: Boletim da Liberdade)

Uma nota do colunista Ancelmo Gois publicada ontem (28) pelo jornal O Globo causou muito barulho no movimento liberal. O jornalista, que é um dos mais importantes do veículo, dedicou à seção final de sua coluna à uma crítica ao tradicional Instituto Liberal e seu suposto alinhamento com o deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ).

“O site do combativo Instituto Liberal tem publicado muitos artigos sobre Bolsonaro, a maioria elogiosa”, observa Gois, que complementa: “Logo o deputado que pediu o fuzilamento de FH e, no ‘Programa do Jô’, de Jô Soaores, em maio de 2013, explicou que fez isso porque o presidente ‘privatizou a Vale e entregou nossas reservas de Petróleo'”.

Demonstrada a suposta incoerência, o colunista conclui: “Assim fica difícil o país dar certo, como ensinou Tim Maia. É que aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e liberal… deixa para lá”, numa clara sugestão de que o IL elogia políticos que não são liberais.

Rodrigo Constantino, presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal, entrevistou o então candidato à prefeitura do Rio Flavio Bolsonaro (PSC) em 2016. (Foto: Reprodução / Youtube)
Rodrigo Constantino, presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal, entrevistou o então candidato à prefeitura do Rio Flavio Bolsonaro (PSC) em 2016. (Foto: Reprodução / Youtube)

Outro lado

O Instituto Liberal publicou em seu site ainda na tarde de ontem uma nota de esclarecimento onde diz que “continuará prezando pela divulgação das ideias da liberdade sem qualquer submissão às pautas que norteiam um blog de fofocas”. O IL declarou ainda que não tem “compromisso com partidos ou políticos, e eventuais críticas ou elogios realizados por colunistas são publicados conforme o alinhamento com a missão institucional” da organização, divulgando em seguida links de artigos contrários e favoráveis ao parlamentar já publicados em seu site.

O economista Rodrigo Constantino, autor de um dos blogs de política mais lidos do país e presidente do conselho deliberativo do IL, também se manifestou. Ele enfatizou que Ancelmo é um “colunista de fofocas” e “conhecido comunista nas rodas soviéticas”, relembrando o fato de que o jornalista confessou ter sido batizado com codinome “Ivan” pela KGB (serviço secreto soviético) durante a Ditadura Militar. O autor de Privatize Já e Esquerda Caviar observou ainda que Bolsonaro “representa  uma das vozes mais firmes contra a extrema-esquerda”, mas que o parlamentar “não é um liberal e ninguém nunca disse o contrário”.

Ex-diretor-presidente do Instituto Liberal, Bernardo Santoro também publicou uma nota sobre a situação. Ele ponderou que durante sua gestão, pautou o IL na defesa das ideias liberais, “publicando críticas e elogios ao deputado quando ele se afastou ou se aproximou do liberalismo econômico”.

“Imagina só se alguém contasse para ele [Ancelmo Gois] que um diretor do IL escreveu o plano de governo do Flavio Bolsonaro para prefeito?”, provocou Santoro, que participou da campanha de Flavio à prefeitura do Rio em 2016 e, ao longo dos últimos anos, tem estado cada vez mais próximo do grupo político do parlamentar. “Quem me acompanha aqui sabe que sou amigo pessoal do Flávio e, salvo algum evento extraordinário alheio a minha vontade, votarei no Jair para presidente”, declarou.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também