Economista Joel Pinheiro terá coluna em edição impressa da Folha de São Paulo

Articulista do Instituto Millenium e do Instituto Mises Brasil, Joel Pinheiro já foi até matéria da revista Época em junho do ano passado, apresentado como “libertário”

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Julia Rodrigues - Época)
(Foto: Reprodução / Julia Rodrigues – Época)

A partir da próxima terça-feira (28/03), um nome conhecido no meio liberal fará sua estreia como colunista na edição impressa e no site da Folha de São Paulo: o economista Joel Pinheiro da Fonseca. Co-editor da revista Dicta&Contradicta, formado em Economia pelo Insper (antigo IBMEC-SP) e mestre em Filosofia pela USP, Joel terá seu espaço próprio semanal na seção “Poder”.

Joel Pinheiro da Fonseca é também autor de muitos artigos publicados pelo Instituto Millenium e o Instituto Mises Brasil, entre outros espaços virtuais. Além disso, o jovem economista já foi tema de matéria da Revista Época, em junho passado. Com o título Há novidade na direita brasileira, a matéria o apresentou como um autodeclarado “libertário”, que teria a “palavra como canhão” e seria hoje “a voz mais vibrante de um novo tipo de pensar liberal”.

O texto da Época também o definiu como alguém favorável à liberação da maconha e à união civil de homossexuais – o que teria rendido “contendas com direitistas da velha guarda, como o também filósofo Olavo de Carvalho”, bem como defensor de uma posição “pela diminuição do Estado na vida das pessoas, especialmente nas questões econômicas, mas não só nelas”. Menciona também que Joel fez parte do Estudantes pela Liberdade e do Movimento Liberal Acorda Brasil, além de ser filho do também economista Eduardo Giannetti da Fonseca, um dos formuladores da política econômica proposta pela presidenciável Marina Silva, da Rede, em 2014.

Comentando sua nova coluna, Joel disse à Folha: “Preocupa-me encontrar os caminhos para o Brasil nestes tempos de crise sem precedentes. Crise econômica, política e também cultural. Daí olho também para o que acontece no mundo, neste momento em que as antigas instituições e pressuposições parecem se desfazer”. E concluiu: “Vou olhar também para o caráter crescentemente tribal da política no Brasil e no mundo”.

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail


Leia também